domingo, 1 de novembro de 2009

Tudo Começou dentro do Coletivo Lotado


Esta estória começou um dia em que fomos até o centro da cidade,e tivemos que voltar num horario que os onibus estão cheios,como estava muito calor minha esposa,havia saido de casa com um vestidinho de malha desses bem fininho,com um decote normal,só que este vestidinho é como se ela estivesse nua pois marca bem as suas formas,então ao voltarmos para casa o onibus já estava cheio e tivemos que ir em pé no corredor,mas não havia um lugar onde nos coubesse juntos,de modo que minha esposa teve que ficar um pouco para a frente de onde eu estava,alguns pontos depois o onibus para e me lembro que era perto de uma fabrica e então ele acabou de encher,não tendo espaço para mais ninguem,quando olho para onde minha esposa está ,eu vejo um negão de quase dois metros de altura encostando atrás dela,daí a pouco eu reparo que o safado do negão está se aproveitando da situação e relando descaradamente em sua bunda,pois ele até se abaixava um pouco para poder relar seu pau na bundinha de minha esposa ,pensei em protestar mas com medo do negão partir para a briga e tambem ví que minha esposa não esboçava nenhuma reação resolví deixar como estava.depois que descemos do onibus minha esposa disse que o negão so faltou tentar passar a mão por debaixo do seu vestido,pois a pica ele havia esfregado nela a vontade,sussurrando que ela era muito gostosa,e a cantando.quando chegamos em casa minha esposa me arrastou para a cama e foi logo abaixando,colocando minha pica para fora e chupando,dizendo que o negão havia deixado ela tarada,então eu a fodí com força,e ela fantasiando"vem negão,arromba sua branquinha safada vem",eu ao ouvir isso gozei como um louco em sua bocetinha,e ela aos berros,gozando e fantasiando que era o negão do onibus,quem esporrava nela.depois dessa foda ela me disse que havia ficado com vontade de transar com aquele negão,porque ela notou que seu cacete parecia ser bem grosso.então combinamos que ela pegaria aquele onibus novamente e arrumaria um jeito de dar para ele.no outro dia lá estavamos novamente no onibus lotado,e torcendo para que o negão subisse novamente,quando chegou no ponto da fabrica ,o negão subiu e acompanhado de um outro amigo tambem escuro,se colocaram atrás dela e foram os dois esfregando nela,só que era um de cada lado,então o negão que já tinha um pouco mais de intimidade,cochichou algo em seu ouvido,ela deu um sorrisinho sacana e balançou a cabeça afirmativamente,aí ela se virou para ele e disse que topava ir com eles mais que eu teria que ir junto(isso ela me contou depois),então ela fez um sinal para mim segui-los,e ao descermos do onibus,nos apresentamos e fomos para a casa deles,que na verdade era uma republica,só que aqueles dias só estavam os dois,que seus colegas haviam viajado para a bahia para rever sua esposas,e que eles em breve iriam para lá tambem,que eles tambem eram casados,nos informaram ainda que na epoca que todos estão lá,tem doze homens na república.chegamos lá e eles a deixaram nua da cintura para cima e começaram a chupar seus seios,que já estava apontando para o alto,em poucos segundos eles colocaram suas rolas para fora e ela começou a chupá-los,como aqueles baianos tinham a pica grande que ela nem conseguia coloca-las na boca,de tão grande e grossa que ela só conseguia engolir a metade delas.então ela lambia aquelas cabeçonas negras,com uma vontade que demonstrava todo o tesão que ela estava sentindo no momento,ela ia da cabeça aos bagos,engolindo ora um ora outro,enquanto punhetava o outro cacete,depois batia os caralhos em seu rosto e no seus peitos,e foi dizendo "me comam logo que eu estou morrendo de tesão seus viados"então os dois baianos a colocaram de quatro no chão,enquanto um a fodia selvagemente a boceta,o outro a fodia na boca como se estivesse metendo numa boceta,enfiava tão fundo e potentemente que ela a toda hora engasgava e ele então dizia "não queria a rola do baiano?agora toma sua cambriaxa"e dava tapas em sua cara,e a cada tapa ela se transformava mais e mais,e pedia mais,o negão que fodia sua boceta aumentou a velocidade e anunciou aos berros que estava gozando,e encheu sua boceta de porra,o outro,o que tinha o cacete maior,saiu de sua boca e começou a bomba-la na boceta,apenas para lubrificar seu cacete,depois mirou aquela tora negra no seu cuzinho que até aquela hora só havia recebido meu pau poucas vezes e que não era muito grande comparado com o deles,e enfiou de uma só vez,arrancando um grito de dor de minha esposa,quando ela começou a gemer de dor,o outro enfiou o cacete na boca dela e disse"toma sua quenga,limpa meu cacete ao invez de chorar"aí o negão que fodia seu rabinho,dava tapas em sua bunda e a fodia com força xingando ela de égua,vaca,puta,rampeira ,que ela era uma vaca da muléstia,pois até aquele dia mulher nenhuma tinha aguentado o seu cacete até as bolas baterem em sua bunda.e foi socando forte que urrando e gemendo gozou um monte porra que parecia que tinha muitos meses que ele não fodia ninguém,eu assistí minha mulher ser fodida por eles batendo punheta,quando ela acabou de limpar o pau do baiano gigantesco,eu corri para ela e esporrei em sua cara.depois disso,tomamos um banho e fomos embora.agora ela quase todos os dias vai lá para ser fodida por eles.quando foi na outra semana,os outros companheiros deles chegaram,e agora ela é a puta de todos os doze baianos,chegando a passar o final de semana hospedada na república,as vezes quando dá eu a acompanho até la,mas tem vezes que ela vai só,e volta com a boceta e o cuzinho inchado e vermelho de tanta pica dos baianos.e eu nunca imaginei que seria corno dos baianos...

1 comentários:

ronny 13 de junho de 2010 14:51  

SE KIZER SER CORNO COM UM MINEIRO DOTATO ENTRE EM CONTATO CASAIS E MULHERES RONNY19CM@HOTMAIL.COM

Postar um comentário

Esta Página contém posts e comentários.

  

voltar ao topo